Por que os relacionamentos não duram?


O sociólogo Bauman expõe que vivemos em uma era liquida, visto que tudo muda tão rápido. Tudo atualmente é feito para durar pouco, nada é para ser sólido. Através desta liquidez moderna surge algumas questões como a busca constante pelo corpo perfeito, as inseguranças e as instabilidades nos relacionamentos amorosos. Vivemos em um mundo que é feito das incertezas, e que cada vez mais é cada um por si. Esta modernidade líquida é caracterizada por esta mudança constante e que nada dura por muito tempo, assim como o estado líquido das “coisas” que são impedidos de se solidificarem. Nestes tempos as relações interpessoais também são impedidas de se solidificarem. No que se refere às redes sociais, elas tornam as relações mais fáceis e menos arriscadas por um lado, o que é encantador para alguns. Esta vida online permite você se conectar e se desconectar com uma extrema facilidade. As pessoas se adicionam nas redes sociais, porém basta alguma coisa que cause desconforto para que excluam. Por um lado, a vida conectada facilita a criação das redes, de se conectar a outras pessoas, porém por um outro lado, alguns pontos são perdidos. Entre estes pontos encontra-se a habilidade de se vincular a outras pessoas, de estabelecer confiança. Como estabelecer relações duradouras se não permitimos nos vincular e ter confiança no outro? Com isto, surgem os amores líquidos, o amor mantêm-se enquanto ele te traz satisfação, porém, a qualquer momento, ele pode ser substituído por outro amor que possa trazer mais satisfação. Nos aplicativos de relacionamentos você é constantemente bombardeado por “opções” que possam ser melhores que as atuais. Esta possibilidade constante de eliminação gera uma angústia constante, visto que a qualquer momento você pode ser trocado por uma “opção” melhor. Porém deve-se salientar que o amor não é um tesouro perdido no qual irá ser encontrado, e sim é uma construção que demanda estabelecer vínculos, confiança e se aprofundar na relação de forma mútua.

42 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Metamorfose

Eu sou uma metamorfose ambulante E com está linda música que foi escrita por Raul Seixas, vos questiono: • quem aqui já nasceu tal como esta agora? • Com as mesmas opiniões, idéias e sentimentos? • Qu

A pandemia nos convida a nos conectar.

A pandemia nos convida a nos conectar! Até a pouco tempo não tínhamos tempo, o tempo era precioso. Nas grandes cidades não havia tempo para se conectar com os outros, e segundos eram cheios de afazere